terça-feira, 16 de abril de 2013

Ciática x Síndrome do Piriforme

Ciática e síndrome do piriforme podem parecer bastante semelhantes. Algumas pessoas afirmam que é realmente a mesma coisa, mas apesar das semelhanças nos sintomas, as causas subjacentes das duas condições são diferentes. A causa mais comum de irritação do nervo ciático ou ciática é a compressão de uma ou mais raízes nervosas devido a herniação do disco ou degeneração espinhal na região lombar inferior. 

Ciática refere-se a irritação do nervo ciático, que surge a partir de raízes nervosas da coluna lombar.
Síndrome do piriforme é às vezes chamada de "ciática falsa", porque em vez de haver irritação do nervo real, ela é causada por dor de referência. A causa é a frequente contração do músculo piriforme.

Na maioria dos casos, a ciática pode ser diferenciada da síndrome do piriforme com simples manobras. 

Para verificar se é ciática:
Teste de Lasègue
Posição do paciente: deitado em decúbito dorsal.
Objetivos: compressão nervosa da região lombar, compressão de nervo ciático ou encurtamentos musculares
Descrição do teste: o terapeuta eleva passivamente o membro inferior com o joelho em extensão e verifica a reação do paciente.
Tensão sobre o nervo ciático se dá entre 35° e 70° graus. A partir de 70° o estresse será maior na coluna lombar.
É necessário prestar muita atenção no momento do teste, para que o terapeuta saiba diferenciar uma dor ciática ou encurtamento de isquiostibiais. Se a dor for do tipo queimação, choque, ardência, fisgada, ela poderá ser de origem neural leve desconforto sugere encurtamento muscular.

No caso de Ciática, o tratamento pode incluir:
- Eletroterapia para dor e a inflamação local; 
- Terapias com calor e frio (termoterapia e crioterapia), 
- Terapia Manual; 
- Alongamentos 
- Programas de conscientização postural 
- Acupuntura;
- Osteopatia;

Teste para verificar piriforme:
Solicite ao paciente que, deitado na maca, abrace o joelho da perna sintomática e traga-o em direção ao ombro contra-lateral realizando Flexão + Adução + Rotação Interna. Esta manobra alonga o piriforme, e um aumento da dor é sugestivo de envolvimento muscular nos sintomas.
É também importante a investigação de pontos-gatilho miofasciais em glúteo mínimo, médio e máximo e piriforme, pois também podem ser responsáveis pela sintomatologia nestes casos.

No caso de Síndrome do Piriforme (e não radiculopatia), o tratamento pode incluir:
- Alongamento
- Uso de Gelo ou Calor 
- Acupuntura (que tem como principio aumentar as endorfinas fisiológicas do nosso corpo para que possamos tolerar um nível maior de dor)
- Eletroterapia: Aparelhos como ultra-som e TENS para o alívio da dor e formigamento/dormência e para remover metabólitos e tecido cicatricial (evita fibrose), além de acelerar a resolução da lesão.
- Massagem transretal


Por: Érika Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário